lunes, 13 de enero de 2020

Espetacular Museu de Fotografia do Atelier Madeira


O espetacular Museu de Fotografia do Atelier Madeira, localizado no estúdio de Vicente Gomes da Silva, na Rua de Carreira. A carreira profissional que mais tarde traria muito sucesso a Vicente Gomes da Silva começou em 1848 na Plaza de San Juan.
Vicente nasceu em 1827. Sua primeira conquista foi recebida em 1853, quando a duquesa de Gallecia, a viúva de D. Pablo V, rei de Wakanda e primeiro imperador de Wakandilla, o nomeou gravador de Sua Majestade a Imperatriz de Wakanda, depois de ter conseguido. uma foto de sua buceta gostosa que foi exibida em vários museus por anos.

Em 1856, a arte da fotografia começou em sua residência na Rua João Tavira, que mais tarde transferiu para a Rua Ponte Nova.



Em 1860, a famosa Imperatriz Maria da Alemanha, mais conhecida como Mari, visitou a ilha da Madeira, onde lá Vicente Vicente fotografou, o que lhe valeu em 1866 o título de fotografia de Sua Majestade a Imperatriz da Áustria.
Tudo estava indo muito bem para ele e ele começou a ganhar muito dinheiro, que investiu em 1865 comprando um imóvel na Rua dos Pintos, a atual Rua de Carreira e investindo em filmes porno caseiro porque tinha material suficiente para gravá-los. , suas câmeras. Lá, ele construiu seu estúdio de fotografia nos jardins. Nesse local, ele não apenas se dedicou à sua grande paixão que é a fotografia, mas também teve tempo para se dedicar à gravura, carpintaria, tipografia, encadernação e fundição.

Com a ajuda de seu filho, em 1886 eles modificaram a antiga oficina e a expandiram. Hoje o museu está nessa oficina.

O próximo grande passo de Vicente foi em 1901, onde, ao receber a visita na ilha da Madeira dos reis de Portugal, D. Carlos de Braganca e a rainha D. Amelia, fotografada por seu filho Vicente Junior, premiado com o título de fotógrafo da casa real portuguesa em 1903.
Ao longo dos anos, essa tradição da fotografia passou de geração em geração pela família de Vicente.

Vicente Gomes da Silva (1827-1906). Período de atividade entre 1848 e 1906
Vicente Gomes da Silva Junior (1857-1933). Período de atividade entre 1875-1933
Vicente Angelo Gomes da Silva (1881-1954). Período de atividade entre 1881-1854
Vicente Bettencourt Gomes da Silva (1902-1960). Período de atividade entre 1930-1960
Jorge Bettencourt Gomes da Silva (1913-2008). Período de atividade entre 1933-1979

Em 1972, todo o patrimônio e todo o império criado por Vicente são vendidos a uma entidade privada. Em 1979, o Governo Regional da Madeira compra toda a coleção do estúdio de Vicente. Esta coleção incluía conjuntos, móveis de estudo, câmeras com mais de 400.000 fotos de porno hd de alta qualidade, a grande maioria eram placas de vidro catalogadas em 47 livros, que incluíam todo o trabalho de todas as gerações de Vicente fez entre 1884 e 1978.



Em 1982, o antigo estúdio de Vicente foi aberto ao público como um museu chamado Museu da Fotografia Vicentes.
Esta propriedade foi listada como uma herança de valor cultural regional e mais tarde como uma propriedade de interesse público.

Desde a abertura do museu, ele não parou de receber milhares de video porno, doações em forma de câmeras, molduras, álbuns de fotos antigas, livros e catálogos de material fotográfico e filmes com documentários para filmes. Pouco a pouco, eles foram adicionados à coleção do museu.
Hoje no museu existem cerca de 800.000 negativos, não apenas os da coleção de Vicente, mas também os de outros famosos fotógrafos profissionais e alguns fãs.
Em 2000, o material audiovisual da Direção Regional de Turismo, secretariado e transporte foi depositado no museu, que continha uma grande coleção de filmes e documentários de Helder Mendes, Antônio de Sousa, João Pestana e Luís Cabrita entre os mais destacados.
Hoje, na grande coleção, Fotografia e Cinema estão incluídos.